Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

N Dicas

As melhores dicas de finanças, automóveis, emprego, formações, saúde e lifestyle!

N Dicas

As melhores dicas de finanças, automóveis, emprego, formações, saúde e lifestyle!

Inscrição no Centro de Emprego: Como, Onde, Prazos e Documentos que precisa!

É importante perceber tudo o que precisa para se inscrever no centro de emprego, quais os prazos, onde fazer e documentos necessários.

 

Se procura trabalho deve fazer já a inscrição no centro de emprego. A inscrição no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)  permite-lhe aceder a outros serviços, disponíveis para desempregados, como para quem iniciou agora o trabalho.

 

ONDE DEVE FAZER A INSCRIÇÃO NO CENTRO DE EMPREGO?

 

Pode fazer a inscrição online, através do site IEFP, mas é melhor dirigir-se ao centro de emprego da sua área de residência.

 

como-inscrever-no-centro-de-emprego.jpg

 

QUE DOCUMENTOS PRECISA PARA INSCRIÇÃO NO CENTRO DE EMPREGO?

 

- Apresentar o documento de identificação (Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão, Cartão de Beneficiário da Segurança Social e Número de Identificação Fiscal – o cartão de contribuinte – no caso de cidadãos nacionais;

- Passaporte ou bilhete de identidade estrangeiro, caso se tratem de cidadãos oriundos de um dos Estados- Membro da União Europeia – UE; ou autorização de permanência em território nacional, para cidadãos provenientes de países externos à UE);

 

DEVE TER TAMBÉM:

- 16 anos de idade ou mais;

- Escolaridade obrigatória completa;

- Estar disponível para aceitar um emprego, de acordo com o seu perfil profissional;

- Capacidade comprovada para exercer uma atividade profissional.

 

PARA QUE SERVE A INSCRIÇÃO NO CENTRO DE EMPREGO?

 

A inscrição no Centro de Emprego permite-lhe encontrar trabalho mais rápido e aceder  a diversos serviços, tais como:

Cursos de formação; Programas e medidas de apoio ao emprego; Informação sobre o mercado de trabalho ou dicas para procurar emprego; Informação sobre os mecanismos de proteção social em caso de desemprego (como o subsidio de desemprego ou outros); Acesso a ofertas de emprego; Divulgação do seu Curriculum Vitae (CV) junto de recrutadores.

 

PRAZOS PARA INSCRIÇÃO NO CENTRO DE EMPREGO

Para quem está a começar não tem qualquer prazo, mas quanto mais cedo melhor. Para quem ficou desempregado deve fazer a inscrição no Centro de Emprego assim que possível, para que possa requerer o subsídio de desemprego.

 

A inscrição é muito simples e não tem nada a perder. O centro de emprego não garante emprego, mas há muita coisa que pode aproveitar neste tipo de serviço, nomeadamente as ofertas de emprego constantes que costumam surgir.

Bolsa de Estudo 2017: Prazos, Candidaturas e Documentos necessários!

Está aberto o periodo de candidatura à Bolsa de Estudo 2017 - DGES. Fica já a saber de prazos, quem e como apresentar candidatura e documentação necessária.

 

Todos os anos há novas candidaturas à bolsa de estudo DGES e este ano não foge à regra. A candidatura poderá ser online, há simuladores e escalões para saber quem tem direito a esta bolsa na faculdade.

 

O novo ano letivo 2017 2018 está à porta e para se candidatar à Bolsa de Estudo 2017 é importante conhecer prazos e procedimentos de candidatura.

 

Esta bolsa de estudo permitirá obter auxílio económico em transportes, alimentação e alojamento, mas é fundamental prestar atenção ao Serviço de Ação Social de cada Faculdade/Instituto de Ensino Superior por há pormenores que podem variar.

 

bolsas-de-estudos-2017-prazos-e-candidaturas.jpg

 

BOLSA DE ESTUDO 2017 2018: OS PRAZOS SÃO...

 

- Até dia 30 de setembro de 2017;
- 20 dias úteis subsequentes à inscrição, quando esta ocorre após 30 de setembro;
- Em caso de estágio profissional, a regra dos 20 dias também se aplica.

Pode também pedir a bolsa de estudo 2017 online em qualquer altura do ano, maso valor que receberá será calculado com baseno período que faltar até ao final do ano letivo ou estágio.

 

QUEM SE PODE CANDIDATAR À BOLSA DE ESTUDO?

 

As Bolsa de Estudo podem ser atribuídas a qualquer estudante de uma instituição de ensino superior. As bolsas estão reservadas para alunos de licenciatura, mestrado e estagiários.

 

COMO APRESENTAR CANDIDATURA À BOLSA DE ESTUDO?

 

A candidatura à Bolsa de Estudo pode ser feita online no site da Direção Geral do Ensino Superior e para isso irá precisar de credenciais de acesso. Se ainda não tem deve solicitá-las no Serviço de Ação Social da sua faculdade.

 

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA SE CANDIDATAR À BOLSA DE ESTUDO

- Cartão do Cidadão;
- Declaração de IRS;
- Lista de Imóveis ou IMI ou Caderneta Predial;
- Valor do Património Mobiliário de todos os elementos do agregado familiar, desde 31 de dezembro de 2016 até ao início do ano letivo;
- IBAN – Número Internacional de Conta Bancária (não é obrigatório para todos os elementos do agregado familiar);
- Declaração do Modelo 22 do Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Coletivas (IRC) e Certidão de Registo Comercial.

 

DECISÃO E PAGAMENTO DA BOLSA DE ESTUDO

A decisão da atribuição da Bolsa de Estudo será comunicada através de email. O pagamento será feito mensalmente por transferência bancária. É também possível pedir um requerimento caso a decisão não seja favorável para uma nova anáise por parte dos Serviços ou Gabinetes de Ação Social.

 

IRS 2017: Prazos de Entrega e Regras - Mudanças ao preencher a declaração

Todos os anos são lançadas novas leis, todos os anos são lançadas novas regras. Hoje aqui pelo N Dicas vamos abordar as questões do IRS 2017: Prazos, Regras e Mundanças.

 

Este assunto é super importante e muitas pessoas procuram esta informação e por isso mesmo achamos bem partilhá-la consigo, para que desta forma possa ficar a par das novidades para 2017.

 

irs-2017-prazos-regras-e-mudanças-2.jpg

 

Relativamente à entrega do IRS em 2017 com os rendimentos de 2016 faz-se na seguinte forma: Pensionistas/Reformados (Categoria H) e Trabalhadores por conta dependente (Categoria A) são entregues de forma automática, sendo que nos restantes casos a entrega do IRS anual é obrigatória.

 

A entrega de IRS de forma automática é uma realidade e para que não surjam dúvidas vamos esclarecer melhor este ponto. Ou seja, os rendimentos pagos pelo empregador, as despesas do sistema e-Fatura, os recibos de renda eletrónica etc., são informações enviadas ao longo do ano diretamente à Autoridade Tributária e Aduaneira. Com base na informação recebida até dia 15 de Fevereiro, o sistema efetua o IRS de forma automática, sendo que o contribuinte pode verificar e alterar dados. A partir da confirmação do contribuinte, a declaração de rendimentos é considerada entregue.

 

Nota – O contribuinte poderá reclamar de alguma incorreção detetada, assim como entregar uma declaração de substituição nos 30 dias seguintes à liquidação, sem sofrer qualquer tipo de penalidade.

 

Outra alteração para IRS 2017 muito importante: Datas de entrega de IRS. Estes passam a ser entregues num único prazo, seja ela feita em papel ou entregue pela internet. Os contribuintes deverão entregar o IRS em 2017 entre o dia 1 de Abril e 31 de Maio, independentemente do tipo de rendimentos recebidos.

 

A opção de tributação conjunta ou separada foi alargada e temos novas regras para IRS em 2017: Este ano já vai ser possível entregar IRS em conjunto, mesmo se o casal entregar o IRS fora do prazo legal. Desde sempre que estas regras estavam vedadas por lei, sendo que o casal após determinada data teria de entregar individualmente. Finalmente temos o prazo alargado para 2017.

 

Os escalões de IRS também sofreram alteração, não relativamente à sua quantidade, visto que continuam a ser cinco os escalões de IRS para 2017, mas os seus valores aumentaram e são os seguintes:

1) Rendimentos até 7091€ apresentam uma taxa média de 14,50% não tem nenhum custo;

2) Rendimentos >7091€ até 20.261€ apresentam uma taxa média de 23,60%, o que se traduz numa parcela de 992,74€ a abater;

3) Rendimentos >20.261€ até 40.522€ apresenta uma taxa média de 30,30%, o que se traduz numa parcela de 2.714,93€ a abater;

4) Rendimentos >40.522€ até 80.640€ apresenta uma taxa média de 37,61%, o que se traduz numa parcela de 5.956,69€ a abater;

5) Rendimentos >80.640€ tem que abater 8.375,89€.

 

irs-2017-prazos-regras-mudanças-como-vai-ser.jpg

Como pagar segurança social? Prazos e Diferentes formas de pagamento

Existem diferentes formas de como pagar segurança social e por ser um tema que muitas pessoas têm alguma dificuldade, hoje decidimos dar n dicas para ajudar a pagar segurança social com diferentes formas de pagamento.

 

Claro que se for trabalhador por conta de outrem, não precisa de apresentar pagar algum à segurança social, porque a própria entidade em que trabalha resolve essa questão.

 

como-pagar-segurança-social-diferentes-formas-de-

 

As informações que vamos disponibilizar aqui hoje são destinadas a trabalhadores por conta própria e a Seguro Social Voluntário.

 

Como referimos inicialmente existem diferentes formas de pagamento à segurança social, e são elas as seguintes: Multibanco, Tesourarias dos Serviços da Segurança Social, Homebanking e Débito directo nos serviços da Segurança social directa.

 

Relativamente ao pagamento por Multibanco pode ser feita de duas formas
1) Com referência Multibanco
2) Sem referência Multibanco

 

Na primeira opção, se apresentar referência tem de seguir os seguintes passos:

Pagamentos e Outros Serviços – Pagamento de serviços/compras – Colocar os dados exigidos (entidade, referência e montante) – Guardar talão final como comprovativos de pagamento.

Se porventura não apresentar a referência, siga os seguintes passos:
Pagamentos e Outros Serviços – Estado e Sector Público – Pagamento à Segurança Social – Escolha a sua opção (Trabalhador independente ou Seguro Social Voluntário) – Colocar o NISS ( Número de Segurança Social) – Preencher dados exigidos no ecrã (mês e ano) – Guardar o talão como comprovativo de pagamento.

 

Já nas tesourarias da Segurança Social pode pagar a dinheiro até um montante máximo de 150€, através dos terminais de pagamento automático (TPA) ou por cheque.

 

Relativamente a prazos, o pagamento das contribuições é feito mensalmente e trabalhadores independentes têm até ao dia 20 do mês seguinte àquele a que as contribuições dizem respeito.

 

O pagamento efectuado à Segurança Social fora dos prazos estipulados até 30 dias é considerada uma contra-ordenação leve, a partir daí passa a ser uma contra-ordenação grave.

 

Quando terminam os pagamentos à Segurança Social? No caso dos trabalhadores por conta própria, a obrigação contributiva termina a partir do 1º dia do mês seguinte àquele em que cesse a atividade.

 

como-pagar-segurança-social-diferentes-formas-de-